terça-feira, 22 de agosto de 2017

Njideka Akunyli

A artista Njideka Akunyili tinha 16 anos quando deixou a Nigéria, onde nasceu há 34 anos, para ir estudar nos Estados Unidos em 1999. Completou os estudos na Academia da Pensilvânia das Belas Artes. Como uma jovem imigrante africano, ela aprendeu a cruzar as divisões entre preto e branco, africano e americano, local e estrangeiro, enquanto negociava sua própria identidade entre os dois mundos. As suas pinturas de colagem em papel, com representações cinematográficas de interiores domésticos, contam narrativas complexas sobre a vida quotidiana transcultural. As imagens - retiradas de retratos de família, filmes de Hollywood, e revistas de moda nigerianas - referem a história revolucionária do país e o presente pós-colonial. Composições figurativas que contêm memórias. Um universo profundamente pessoal que ela retrata. Mas diz que não é a Nigéria nem a América. Casou com Justin Crosby, um americano nascido no Texas, que também é artista. Dividem um estúdio em Los Angeles. Agora, está preparando novas pinturas para uma exposição no Museu de Arte de Baltimore que inaugura em 25 de Outubro. Também vai participar na trienal Prospect New Orleans que começa 18 de Novembro.

Suburbicon

Suburbicon é o novo filme escrito pela dupla Coen Brothers que deverá ser lançado nos cinemas em Novembro. Dirigido por George Clooney e protagonizado por Matt Damon e Julianne Moore, é uma comédia sobre uma comunidade suburbana aparentemente idílica com casas agradáveis e a relva bem cuidada. Mas mascara uma realidade perturbadora. Esta película vai competir pelo Leão de Ouro no Festival de Veneza que começa no dia 30 de Agosto.

Frame Denim

A nova campanha da Frame Denim, fotografada por Bruce Weber, é muito divertida. A dupla de fundadores da marca, Erik Torstensson e Jens Grede, com o objectivo de apresentar as jeans de um maneira mais moderna, entregou o sector criativo a Weber e o resultado ficou incrível. As calças e as jaquetas foram usados como chapéu pelos modelos. E até um cão participou na brincadeira.

Jet-set Junker

"É esta "união" europeia, impondo a política fiscal dos Estados membros. Se somos esmagados com impostos, deve-se a este bando de bandidos não eleitos.. Porque eles são os únicos que controlam os fantoches à frente dos nossos estados escravizados por finanças e lobistas. Estão lutando para viver com dignidade, na sua viagem jacto de particular à nossa custa, estão alojados em hotéis de cinco estrelas, mesa bem abastecido e privilégios ilimitados. E pior, a Comissão ainda se recusa a publicar as despesas ao longo do ano, oficialmente porque tal publicação representaria uma "burocracia" . A imprensa britânica anti-UE critica. A imprensa francesa, por sua vez, prefere falar sobre as férias de Brigitte Macron e calar sobre os gastos da Comissão que são financiados. .. 16% à custa do contribuinte francês." ( Via Les Moutons Enragés- Express).

Killing Joke


Moral das corporações

A Vox publicou um artigo muito acutilante sobre as corporações que se assumiram como novos árbitros da moral pública. "Na sequência da violência nacionalista branca em Charlottesville e a resposta controversa e tímida de Donald Trump - um grupo surpreendente emergiu como a auto-proclamada voz da moral pública: as corporações. Os membros da Iniciativa Trump's Manufacturing Jobs e seu Fórum Estratégico e Político, incluindo os CEOs de empresas como Blackstone e 3M, determinaram que a associação implícita de Trump com os supremacistas brancos era má para o país - ou pelo menos, era má para os negócios. Renunciaram aos cargos consultivos, levando o presidente a acabar simplesmente fechando os conselhos. As demissões dos CEOs fazem parte de uma tendência mais ampla de grandes corporações assumindo uma posição pública sobre questões de justiça social. Seria tentador elogiar muitas dessas empresas sem reservas por "tomar uma posição". E, de fato, as suas posições merecem elogios. Mas também vale a pena examinar o que significa viver numa sociedade onde a moral pública é ditada por corporações com interesse financeiro no nosso senso de virtude. Se a companhia aérea holandesa KLM celebrou os direitos LGBTQ num anúncio recente e controverso, fez isso por princípio? Ou foram na onda do interesse viral que certamente surgirá, já que estão cortejar mais clientes daqueles que desejam gastar os seus dólares de viagem com uma empresa aberta do que perder os clientes ultrajados pelo pro-LGBTQ. Simpatias?
Da mesma forma, uma empresa de artesanato popular como Hobby Lobby, cujos valores cristãos são agora sinónimo de marca corporativa na sequência do seu caso histórico da Suprema Corte, faz o mesmo cálculo de negócios? ...Ambos os conjuntos de instituições - e ambas as abordagens da moral - têm seus prós e contras. Mas, quando se trata de confundir as decisões empresariais das corporações com suas posições morais, não podemos dar-nos ao luxo de ignorar até que ponto eles reflectem e reforçam o capitalismo como uma grande força religiosa e económica na sociedade americana".

Human Flow


O documentário sobre os refugiados com o título Human Flow do artista chinês Ai Weiwei, em parte filmado a bordo do Aquarius, e que foi seleccionado para o 74º Festival de Veneza.

Banido do Google

O professor de estatística Salil Mehta, adjunto das universidades de Columbia e Georgetown que ensina probabilidade e ciência dos dados, foi banido pela Google na sexta-feira. Nas suas repetidas tentativas de restaurar o seu e-mail, blog e outras contas vinculadas ao Google foram até agora rejeitadas com uma declaração geral e uniforme do gigante da pesquisa. "A liberdade não é gratuita, a menos que as corporações que exerçam uma grande influência nas nossas vidas acreditem no nosso bem-estar. Eu entendo que é preciso haver padrões razoáveis ​​para controlar uma grande rede social e garantir que todos possam aproveitá-la livremente. Na sexta-feira, na costa leste, fiquei completamente desligado em todas as minhas contas do Google, incluindo as páginas da universidade, sem motivo e sem aviso prévio. Alguns de nós ficaram atordoados e inseguros, mas claramente sabemos que não foi um acidente. O meu blogue sem anúncios é um site de teorias de probabilidade com 27 milhões de leituras. Foi lido por Warren Buffett, Elon Musk, Prémios Nobel, vários governos, atletas, celebridades em todo o mundo, decanos de muitas universidades e uma série de âncoras de notícias de TV. Os meus antecedentes são limpos e sem uma agenda política ou social. Não estou promovendo nenhum ponto de vista específico. Eu ensino matemática de probabilidade e é isso. O NYT publicou um artigo neste fim de semana sobre o meu blogue, mas, não vincula um mau funcionamento embaraçoso, para muitos verem...Isto não me parece certo. Agora, em vez de matemática, os repórteres voltaram-se para este último pesadelo circense do Google como um exemplo de como eles estão agravando más decisões sobre pessoas boas em qualquer lugar e em qualquer momento.

NassimNicholasTaleb ✔ @nntaleb
Even his email was disabled by Google. https://twitter.com/salilstatistics/status/898730013037477889

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Laibach

Um homem sem país

O jornalista americano Rafti Khatchadourian publicou um artigo muito interessante sobre Julian Assange com o título A Man Without a Country na revista New Yorker. Vale a pena ler. Conhecem-se há anos. Desde a época em que o fundador da Wikileaks estava em Nova Iorque. Longas conversas na embaixada do Equador, ficando com a impressão de que Assange é uma personagem complexa. Falaram praticamente de tudo. Do processo onde foi acusado de violador. "As batalhas com governos são fáceis, mas as batalhas com mulheres traiçoeiras são outra questão", disse Julian que falou sobre a fraqueza do sistema judicial da Suécia devido à "intromissão externa dos USA e da cultura feminista radical". Tem uma péssima impressão do jornalismo actual. "Nós não queremos salvar o jornalismo, mas sim destruir o que não merece viver. Está muito degradado, tem que ser reduzido a cinzas antes que uma nova estrutura possa aparecer". Ficámos a saber que o orçamento anual da Wikileaks é executado em milhões de dólares, fornecidos em parte por doadores que são canalizados através de ONGS. Em 2016 arrecadou centenas de milhares vindos dos Estados Unidos, "um império que se encontra em colapso". Houve uma frase de Assange em que me revejo: "A ideologia é demasiado simples para abordar como as coisas funcionam". Narcisista? Contraditório?  Não sei. Talvez. Mas gostei do retrato do homem que no "seu pequeno santuário de Londres interferiu nas instituições mais poderosas do planeta".

A imagem

Charlize Theron no filme Atomic Blonde. Bela e perigosa, esta agente secreta não é um clone de James Bond. É mais sexy, tem uma linguagem corporal fantástica e bebe vodka on the rocks.

Rogan Lucky

Já estreou nos Estados Unidos o filme Rogan Lucky que marca o regresso de Steven Soderbergh  depois de ter anunciado que iria reformar-se do cinema. Esteve desaparecido durante quatro anos e agora voltou com uma comédia na linha de Ocean Eleven, mas passada num ambiente redneck, o que nos recorda o estado actual do país. White trash, concursos de beleza de crianças, desemprego crónico. Tudo isso que gerou a dinâmica de Trump, mas que é real. Centra-se na história dos irmãos Logan protagonizados por Channing Tatum e Adam Driver, ambos veteranos da guerra do Iraque onde ficaram feridos. Mutilados. Pobres e frustrados, resolveram preparar um assalto ao Charlotte Motor Speedway, na Carolina do Norte. Uma versão mais fraca de Hell or High Water para lutar contra o sistema. E aliciam um especialista em explosivos, Joe Bang, que está preso. Esta figura bizarra é interpretada por Daniel Craig que surge platinado.

Thomas Ruff

Até 26 de Agosto, o fotógrafo alemão Thomas Ruff  tem uma exposição na Galeria Spruth Magers de Berlim. Ao longo dos seus 30 anos de prática, explorou um amplo conjunto de trabalho. Esta série com o título de Press é uma fascinante investigação do acto da produção e consumo das imagens. Aborda temas variados e pontos focais, estabelecendo-se principalmente nas fotos de filmes de Hollywood e imagens de imprensa e de arquivos de museus e galerias. As obras são apresentadas com poucos comentários, permitindo ao espectador aprofundar as várias mensagens. As marcas de cultivo, redimensionamento e manipulação da forma apresentada são mostradas, juntamente com assinaturas e notas breves. Numa época de produção tecnológica, Ruff enfatiza a acção humana por detrás da própria imagem, um ponto que os espectadores fariam bem em manter na mente enquanto navegam na paisagem da media actual.

Colisão de navios

Dez marinheiros estão desaparecidas e cinco ficaram feridos numa colisão entre o destroyer americano e um navio-tanque off de Singapura. É o segundo acidente envolvendo um navio de guerra americano em dois meses. A Marinha dos Estados Unidos informou hoje de manhã num comunicado que o destroyer de mísseis guiados USS John S. McCain colidiu com o navio mercante Alnic MC perto do Estreito de Malaca.

Revistas


domingo, 20 de agosto de 2017

Chiara Fumai (1978-2017)

A artista italiana Chiara Fumai, participante da Documenta Kassel 13, foi encontrada morta numa galeria em Bari. De acordo com o jornal La Repubblica, a causa da morte pode ter sido uma overdose de drogas. A curadora Antonella Marino escreveu que ela se tinha mudado de Nova Iorque para Bari, no sul da Itália. Tentava recuperar-se de "uma crise particular". Nascida em Roma em 1978, a artista que também trabalhou como DJ de música underground tecno, era conhecida pelas suas performances e peças multimédia envolvendo feminismo, a cultura dos media, a linguagem e a repressão. Foram temas que permearam nas suas obras fotográficas, performances, vídeos, palestras e instalações. Criou uma campanha fictícia para o Manifesto SCUM da feminista Valerie Solanas que se propunha demonstrar a inferioridade do sexo masculino. Sim, a mesma Solanas que alvejou a tiro Andy Warhol. Segundo a curadora, Fumai estava preparando uma exposição na Galeria Rino Costa Gallery, em Piemonte, e pensava radicar-se em Bruxelas no final do ano. Tinha 39 anos.

Wang Qingsong

O fotógrafo Wang Qingsong (1966) cuja obra se centra na Revolução Cultural Chinesa, apresenta uma exposição com o título de Competion no Museu da Fotografia de Berlim. São imagens de grande formato, evocando os jornais de parede lançados por Mao em meados da década de 60 que espalhavam a propaganda. "Na minha instalação cada cartaz é um anúncio para um determinado produto. Hoje, todos estão interessados ​​no seu próprio lucro, todos se anunciam a si mesmos. A publicidade é a propaganda do nosso tempo e a politica a ganância", afirmou o artista numa entrevista. Noutras produções de Qingsong chegaram a estar envolvidas 1.400 pessoas que foram pagas para participarem. Sobre a China actual diz que a geração mais jovem não se interessa por política. "Os pais organizam tudo para os seus filhos. Onde eles vão viver e a carreira a seguir. O Partido Comunista é como esses pais. Foi assim no tempo da Revolução Cultural e é assim hoje. As pessoas estão acostumadas a ter alguém a dizer-lhes o que fazer. O comunismo é como uma marca. Já ninguém acredita nos ideais do Partido Comunista. Usam-no para seu benefício. Ter um bom emprego, dinheiro e etc.", acrescenta o artista.

Simples Aviso

Apoiantes do Estado Islâmico publicaram ontem uma segunda mensagem. Voltam a ameaçar a Espanha, dizendo que as recentes "operações" de Barcelona e Cambrils foram um "simples aviso" e que acções mais ameaçadoras estão para vir. Por outro lado, um militante do Estado Islâmico (IS) usando o nome de "Muhajir Cordova" dirigiu uma mensagem aos cidadãos espanhóis, alertando-os para pressionarem o governo a uma retirada da coligação liderada pelos EUA e libertar prisioneiros muçulmanos ou então irão enfrentar terríveis ataques. No Telegram Channel sugere-se que a Itália será o próximo objectivo. Os ataques terroristas que ocorreram até agora na Europa são feitos por pessoas não treinadas, uns amadores operacionais. Os verdadeiros terroristas capazes de se detonarem no meio da multidão, provocando grandes danos, aptos a servirem-se de centenas de milhares de armas escondidas nas cidades, ainda não passaram à acção. Estão a caminho de casa. São treinados e mentalmente motivados e se sobreviveram é pela selecção natural da guerra que não poupa o mais forte. O Estado islâmico está agora competindo pela sobrevivência com a Al Qaeda. Julgo que vamos assistir a uma escalada de terror na Europa.

Talking Heads


Pine Gap

Ao sul de Alice Springs, o segundo maior centro populacional no norte da Austrália, existe um complexo de alta segurança, denominado"RAINFALL" que é um das mais importantes lugares secretos de vigilância no hemisfério oriental. Tem centenas de funcionários australianos e americanos, já que a base é formalmente conhecida. A "capa oficial" oficial, conforme descrito em num documento de inteligência secreto dos Estados Unidos é "apoiar a segurança nacional dos EUA e da Austrália". Contribui para verificar o controle dos armamentos e os acordos de desarmamento e os desenvolvimentos militares. "Mas, na melhor das hipóteses, essa é uma versão económica da verdade. O Pine Gap temPine Gap uma missão muito mais ampla - e capacidades mais poderosas - do que os governos australiano ou americano já reconheceram publicamente. Uma investigação, publicada no sábado pela Australian Broadcasting Corporation em colaboração com The Intercept, perfura o muro de sigilo, revelando pela primeira vez uma ampla gama de detalhes sobre a sua verdadeira função. "A base é uma importante estação terrestre a partir da qual os satélites espiões dos EUA são controlados e as comunicações são monitorizadas em vários continentes", de acordo com os documentos classificados obtidos pela The Intercept  através de Edward Snowden. Juntamente com a base Menwith Hill da NSA na Inglaterra, a Pine Gap tem sido utilizada nos últimos anos como posto de comando para duas missões. A primeira, chamado M7600, envolveu pelo menos dois satélites espiões para fornecer "cobertura contínua da maioria da massa terrestre euro-asiática e da África". Essa iniciativa foi posteriormente actualizada como parte da M8300, uma segunda missão que envolveu "uma constelação de quatro satélites" abrangendo a RússiA, China, Ásia do Sul, Ásia Oriental, Oriente Médio, Europa Oriental e territórios no Oceano Atlântico. (The Intercept)

sábado, 19 de agosto de 2017

Fronteiras do Pensamento

Começou em Julho a primeira conferência da série especial 2017 do Fronteiras Braskem do Pensamento em Salvador, no Brasil. Com o tema Civilização – A sociedade e seus valores, as conferências propõem-se provocar o debate sobre o que nos une como civilização. O escritor moçambicano Mia Couto, a crítica cultural norte-americana Camille Paglia e a activista dos direitos humanos moçambicana Graça Machel são os três conferencistas desta edição de 2017. A intelectual americana fez uma conferência sobre arte e feminismo em 15 de Agosto no Teatro Castro Alves. "Há gerações inteiras de mulheres que foram convencidas de mentiras". Numa conversa com os jornais, a escritora que é filiada no Partido Democrata e era apoiante de Bernie Sanders, comenta os primeiros meses de governo Trump e critica parte da imprensa: “Detesto essa mobilização histérica dos jornalistas contra Trump. Principalmente dos jornalistas que vêm dos guetos da elite de Nova Iorque, Washington e Los Angeles". Critica a tecnologia que adormece a sensibilidade. "Os jovens tornam-se tão dependentes da comunicação textual e do correio electrónico que estão perdendo a linguagem do corpo. O olho sofre com anúncios piscando na rede e para se defender, o cérebro fecha avenidas inteiras de observação e intuição", afirmou. A professora da University of the Arts de Filadélfia desde 1984 criticou duramente a cultura do politicamente correto, que teve um início muito positivo, mas que se transformou numa ditadura totalitária e burocrática, onde se desconsidera o humor, a ironia, a subversão da ordem. Defensora de uma educação superior pública e de qualidade, que não submeta o estudante às dívidas imensas antes mesmo da sua formação, criticou o pós-estruturalismo francês, na figura específica do teórico Michel Foucault que, segundo ela, não respeitava a arte, a natureza e passa por cima do biológico, inclusive quando analisa a presença do feminino na obra de arte ao longo dos tempos.

Propaganda

"No que diz respeito à narrativa estratégica, o Estado Islâmico tem sido verdadeiramente incomparável não só em termos de qualidade da sua produção, mas também em quantidade. Desde a sua declaração de califado em 2014, produziu literalmente dezenas de milhares de produtos oficiais de propaganda, meticulosamente organizados e sempre em mensagem. Mesmo agora, o grupo está produzindo cerca de 20 produtos de media exclusivos a cada dia. Durante anos, esteve gastando recursos substanciais para produzir, refinar e disseminar suas principais mensagens, tanto para seguidores como para adversários, buscando assegurar a sua ideologia, mesmo que sua influência territorial diminua". (Colin P.Clarke). A hegemonia da informação faz parte da sua estratégia. E do seu sucesso.

Nine Inch Nails


Casa Mary Nohl

Com o objectivo de salvar a arte e o lar de Mary Nohl (1914-2001), apelidada de bruxa pelos vizinhos, o John Michael Kohler Arts Center está restaurando o ambiente artístico da sua casa em Fox Point, Wisconsin. Durante 50 anos, ela foi criando redes e vidro que capturaram a luz, carrilhões de vento nas árvores e criaturas caprichosas de mosaico. Havia esqueletos feitos de ossos de frango nos armários da cozinha e, na decoração da lareira, uma cobra persegue uma maçã. No chão da sala de estar, vemos peixes de madeira com vários tamanhos e condições que estão organizados segundo o tamanho. Desde as esculturas feitas de areia da praia aos temas náuticos dos recortes de madeira, os assuntos que abordava eram tão específicos quanto o seu próprio trabalho. Quando Mary Nohl faleceu em Dezembro de 2001, deixou 11,3 milhões de dólares - e toda a propriedade - para apoiar às artes locais.

Zayn Malik

O cantor e compositor Zayn Malik tem um estilo marcante com os seus casacos de couro e as cores escuras. Na capa da 38ª edição da revista “VMan” apresenta um visual que mistura Inverno e rock. O ex-integrante da banda One Direction deu uma entrevista onde fala sobre como "se tornar homem". Disse que sair da banda foi a primeira grande decisão que tomou e que agora tem muito mais controlo sobre a sua vida e carreira.

Seattle e Lenine

O Partido Comunista Russo criticou as autoridades de Fremont, em Seattle, sobre os planos para remover uma estátua de Lenine da cidade. O partido disse que é contra o vandalismo e apoia a diversidade de monumentos a diferentes ideais políticos em todo o mundo. "A guerra dos monumentos está em andamento. Eu entendo que o mayor de Seattle esteja fazendo isso para agradar aos esquerdistas cujas actividades incluíam a organização de confrontos em Seattle", afirmou Dimitry Novikov, deputado do PCR. Sublinhou ainda tratar-se de uma manifestação anti-soviética, anti-comunista e anti-russa. A estátua de bronze com cinco metros de altura do líder bolchevique é propriedade privada, depois de ter sido comprada pelas autoridades eslovacas no início da década de 1990. O proprietário garante que colocou a estátua em exibição, porque estava tentando vendê-la. O mayor Ed Murray pediu que a estátua fosse removida porque alegadamente representava injustiça histórica, bem como ódio e violência. Na mesma declaração disse que queria remover um memorial dos soldados confederados pelos mesmos motivos.

Nazis Alemães

Centenas de neo-nazis e extremistas de extrema direita manifestam-se hoje em Berlim para comemorarem o 30º aniversário da morte de Rudolf Hess, amigo de Hitler. Ao mesmo tempo, centenas de contra-manifestantes se reuniram perto do desfile no distrito de Spandau, em Berlim Oriental, separado por centenas de policiais fortemente blindados, segundo informa a Associate Press. De acordo com as leis alemãs, os escudos, capacetes e paus carregados por manifestantes de extrema-direita e neo-nazis em Charlottesville no último fim de semana não seriam permitidos. Nem os cânticos abertamente anti-semitas que levariam a polícia alemã a intervir. A manifestação foi permitida desde que os manifestantes não glorificam a Rudolf Hess que morreu na prisão em 1987 de Spandau, após 46 anos de detenção. Além disso, não têm o direito a usar música militar na marcha. Mas podem transmitir duas obras de Beethoven e Wagner. Os contra-manifestantes tentam impedir a manifestação. Esperam-se confrontos violentos.

Fraude das águas

Já se perguntou se aquela água mineral engarrafada que você acabou de gastar vários dólares é realmente água mineral? Esta semana, um grupo de bebedores de água engarrafada colocou uma acção colectiva contra a Nestlé, a empresa proprietária da Poland Spring, alegando que o negócio do Maine há muito vem enganando os consumidores com erros nas águas subterrâneas comuns. Um tribunal federal de Connecticut acusa a Nestlé Waters North America Inc de uma " fraude colossal perpetrada contra consumidores americanos". Os consumidores prejudicados pedem indemnizações na ordem dos 5 milhões de dólares. O processo civil envolve 11 pessoas do Nordeste que, colectivamente, gastaram milhares de dólares na água da marca Poland Spring nos últimos anos O processo de 325 páginas, que foi arquivado por advogados de quatro empresas, afirma que nenhuma das fontes de água da Maine atende à definição federal de água de nascente e que a empresa possui reguladores estaduais "politicamente comprometidos". A Nestlé Waters está purificando e engarrafando as águas subterrâneas, algumas das quais provêm de locais próximos a lixeiras. Os poços da empresa nunca foram cientificamente comprovados. Eu, em Nova Iorque consumia esta água que era das mais baratas do mercado. E, em Portugal, deve haver montes de trafulhices com as águas vendidas nas grandes superfícies.  E não só. A Deco já se debruçou sobre o assnto?