quinta-feira, 23 de junho de 2022

Issy Wood


 No seu segundo EP para a Zelig Records de Mark Ronson, "a artista multimídia londrina se mostra uma estilista pop astuta e sofisticada", segundoo a revista Pitchfolk. Gosto imenso a pintura da jovem artista plástica Issy Wood.  Memoriza objectos e transporta-os para a tela. Entre o realismo e o surrealismo está um modo pictórico distintamente desconfortável, mas curiosamente sedutor, que um critico de arte chamou de realismo pervertido. Baseia-se em estilos de representação tradicionais, mesmo ostensivamente convencionais, mas sem recorrer ao grotesco descaradamente subjetivo que se encontra na obra de um Ivan Albright. Pintura cromaticamente escura, evocando espaços cheios de sombra e escuridão. Lembra Michaël Borremans que cultivo  um tom sinistro e inquietante. 

terça-feira, 21 de junho de 2022

Coronel Richard Black


 

Dior Cruise

The Dior Cruise 2023 Show. Fantástico desfile, na Plaza de España, em Sevilha. E as peças da estilista da marca, Maia Gracia Chiuri são maravilhosas.

 

segunda-feira, 20 de junho de 2022

François Ruffin eleito


 François Ruffin, militante da França Insubmissa foi reeleito com 61 por cento por Sommes para a Assembleia Nacional, fez ontem um discurso muito combativo. Como sempre. "Le rempart à Macron, le rempart à Le Pen : c'est nous !

Elvis


Elvis, o filme de Baz Luhmann estreia na quinta-feira, dia 23 de Junho.

sexta-feira, 17 de junho de 2022

Art Basel


 

Julian Assange


 A perseguição de onze anos de Julian Assange continua. O secretário do Interior britânico, Priti Patel, aprovou o pedido de extradição dos EUA para enviar Assange ao tribunal da Virgínia para ser julgado por dezoito acusações criminais sob a Lei de Espionagem de 1917 e outros estatutos relacionados à publicação de 2010 pelo WikiLeaks de milhares de documentos mostrando a corrupção generalizada, enganos e crimes de guerra por autoridades americanas e britânicas, juntamente com seus aliados ditatoriais do Oriente Médio. "Uma das inovações despóticas mais insidiosas do governo Obama foi redirecionar e revitalizar a Lei de Espionagem da era Wilson como uma arma multifacetada para punir os denunciantes que denunciaram as políticas de Obama". Escreveu Glenn Greenwald


Declarações de Putin


 O presidente russo, Vladimir Putin, antes do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo, disse que as sanções anti-russas só prejudicaram o povo da UE e do Ocidente amplamente, referindo o aumento dos preços do gás e dos alimentos, os temores de inflação e grave escassez na cadeia de suprimentos. Ele declarou o fim do mundo unipolar como o conhecemos, dizendo: "Nas últimas décadas, novos centros poderosos foram formados no planeta cada um deles desenvolve o seu próprio sistema político e instituições públicas, implementa seus próprios modelos de crescimento económico e, claro, tem o direito de se proteger, de garantir a soberania nacional. Estamos a falar de processos reais, verdadeiramente revolucionários, mudanças tectônicas na geopolítica, na economia global, na esfera tecnológica, em todo o sistema de relações internacionais " .

Sobre a UE, afirmou: "A União Europeia perdeu completamente a sua soberania política, e suas elites burocráticas estão dançando ao som de outra pessoa, aceitando o que lhes é dito de cima, causando danos à sua própria população e à sua própria economia". E concluiu: "Haverá uma "mudança de elites" no Ocidente como parte da mudança "revolucionária" iniciada pela guerra na Ucrânia e pelo exagero EUA-Europa. Tal distanciamento da realidade, das demandas da sociedade, levará inevitavelmente a uma onda de populismo e ao crescimento de movimentos radicais, a sérias mudanças sociais e econômicas, à degradação e, num futuro próximo, a uma mudança de elites ".

sábado, 11 de junho de 2022

Diplomacia de Sanchez


 Segundo o diário financeiro espanhol El Confidencial, refere-se à decisão unilateral do primeiro-ministro espanhol Pedro Sanchez, no final de março, de endossar o plano de Marrocos de soberania “limitada” sobre o Saara Ocidental, no processo de pôr fim a 47 anos de neutralidade espanhola sobre o assunto, ao mesmo tempo em que envenena as relações com o maior fornecedor de gás natural da Espanha, a Argélia. Depois de Sánchez ter ratificado a nova política no Congresso, a Argélia anunciou que estava cortando seus laços comerciais com a Espanha.

Crystabell


 

terça-feira, 24 de maio de 2022

Real Politic Kissinger



 Henry Kissinger
pediu ao Ocidente que pare de tentar infligir uma derrota esmagadora às forças russas na Ucrânia, alertando que isso teria consequências desastrosas para a estabilidade de longo prazo da Europa.“Espero que os ucranianos correspondam ao heroísmo que demonstraram com sabedoria”, alertou Kissinger a uma audiência no Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça. Segundo Ambrose Evans-Pritchard, do The Telegraph, os comentários de Kissinger vieram em meio a sinais crescentes de que a coligação ocidental contra Vladimir Putin está se desgastando à medida que a crise alimentar e energética se aprofunda e que as sanções podem ter atingido seus limites.

O ex-secretário de Estado dos EUA e arquiteto da reaproximação da Guerra Fria entre os EUA e a China disse à reunião de elites que seria fatal para o Ocidente se deixar levar pelo clima do momento e esquecer o lugar adequado da Rússia no equilíbrio de poder europeu. “As negociações precisam começar nos próximos dois meses antes que criem reviravoltas e tensões que não serão facilmente superadas. "Idealmente, a linha divisória deve ser um retorno ao status quo anterior. Significa "como as coisas eram antes", implicando que a Ucrânia deveria aceitar um acordo de paz para restaurar a situação em 24 de fevereiro, onde a Rússia controlava formalmente a península da Crimeia e parte controlada informalmente da região de Donetsk.

sexta-feira, 20 de maio de 2022

Jimmy Doore


 Estou de acordo sobre Bernie Sanders. "É um bom tipo mas nunca confrontou o sistema"

quinta-feira, 19 de maio de 2022

Elon Musk


 Elon Musk

@elonmusk

In the past I voted Democrat, because they were (mostly) the kindness party.

But they have become the party of division & hate, so I can no longer support them and will vote Republican.

Now, watch their dirty tricks campaign against me unfold … 🍿

quarta-feira, 18 de maio de 2022

Tahnee Lonsdale


Tahnee Lonsdale
é uma artista britânica que tem um trabalho que considero muito apelativo e conplexo. Acabou de inaugurar uma exposição na Night Gallery em Los Angeles. A série, intitulada True Romance inclui pinturas e esculturas. Nasceu, segundo a artista de uma série de desenhos intuitivos feitos em resposta a vários estados emocionais. As suas composições e personagens são semi- abstratos, minimalistas e monocromáticos. Figuras extravagantes, arquitetura e outros objetos povoam campos de cores vibrantes que sugerem qualquer coisa, desde interiores domésticos a paisagens selvagens.

sexta-feira, 13 de maio de 2022

Bleat

Yorgos Lanthimos é um dos cineastas mais enigmáticos da actualidade. Através das suas longas Dogtooth, The Lobster, The Favorite e Killing of a Sacred Deer , o autor nos faz repensar sobre a estranheza. O seu último trabalho é uma nova curta-metragem de comédia, intitulada Bleat . Encomendado como parte da Ópera Nacional Grega e do programa NEON sem fins lucrativos 'The Artist on the Composer' é estrelado por Emma Stone e Damien Bonnard e marca o primeiro filme rodado na Grécia natal de Lanthinos.

O cinismo


 "Os Estados Unidos, autor da Operação Condor e de intervenções armadas com massacres, dizem que não convidarão países que “desrespeitam a democracia” para a Cúpula das Américas. O único desrespeito é dos EUA que praticam o intervencionismo e orquestram golpes contra países anti-imperialistas". (Evo Morales, ex-presidente boliviano que foi o último de uma longa lista de líderes latino-americanos depostos em golpes apoiados pelos EUA).

quinta-feira, 12 de maio de 2022

Que sanções?


 Algumas semanas depois que soubemos que a conta corrente da Rússia atingiu um recorde histórico graças ao aumento das exportações de commodities (assim como o déficit comercial dos EUA atingiu um recorde por conta própria). Que sanções? As receitas do petróleo russo subiram 50 por cento. Ao contrário das intenções dos países europeus, um cálculo de um think tank alemão descobriu que as receitas de petróleo e gás da Rússia atingiram um recorde em Abril, subindo para 1,8 trilhão de rublos  num único mês , após 1,2 trilhão em Março , levando às seguintes estatísticas impressionantes "Após apenas 4 meses, o orçamento federal da Rússia já recebeu 50% da receita planeada de petróleo e gás para 2022 (9,5 trilhões)." A Bloomberg confirmou esta estatística impressionante e, citando o último relatório da AIE, escreve que as receitas de petróleo da Rússia aumentaram 50% este ano "mesmo que as restrições comerciais após a invasão da Ucrânia tenham estimulado muitas refinarias a evitar seus suprimentos". Aparentemente, as restrições - que elevaram o preço do petróleo ao nível mais alto em uma década e aumentaram a receita dos exportadores de petróleo - é exatamente o que Putin esperava.

sexta-feira, 6 de maio de 2022

Eficácia da arte


 Remote Commander
by Jean Michel Basquiat, 1984. Atento ao mundo...

Manipulação grosseira


 A mídia do Atlântico Norte está enredada numa guerra de informação sem precedentes. Caracteriza-se por uma erosão implacável da distinção entre factos e manipulação de emoções e percepções, entre conjecturas e verdades inatacáveis. Eu vi esse tipo de guerra de informação nos Estados Unidos em primeira mão durante os últimos anos da guerra no Vietnã e no período que antecedeu a guerra no Iraque – ambas as guerras impulsionadas por fraudes políticas que levaram a vários crimes de guerra.

A manipulação das notícias sobre a guerra da Rússia na Ucrânia visa impedir que a opinião pública busque uma paz duradoura tanto para a Ucrânia quanto para a região. O objetivo desta guerra de informação é prolongar a guerra para seguir os interesses daqueles que desejam promovê-la.Como se sabe o que constitui factos e o que constitui mentiras, e como se pode aprender a explicar eventos sem ser acusado de justificação?...(Boaventura Sousa Santos-Counterpunch)

quinta-feira, 5 de maio de 2022

Lula da Silva


 Lula não é fã da star Zelensky, um actor de terceira categoria colocado nos píncaros pela media ocidental. Disse à revista Time que  o presidente da Ukrania é tão culpado culpado como Putin.  Até o qualificou de rei da cocada. 

segunda-feira, 2 de maio de 2022

O império pune


 "Ao longo dos anos, o Consortium News deixou sua marca com reportagens destemidas sobre a Surpresa de Outubro de 1980 ; o programa de manipulação psicológica do povo americano a partir do governo Reagan; as falsas premissas para a desastrosa invasão do Iraque pelos EUA em 2003; o golpe de 2014 na Ucrânia e a influência do neonazismo; o falso escândalo do Russiagate ; o caso Julian Assangee ultimamente sobre a guerra na Ucrânia.

Ao longo desses anos, os editores e redatores do Consortium News se acostumaram a ser tratados como fantoches e marionetes por exercerem seu próprio julgamento editorial livre de qualquer influência externa. Para reprimir nossos críticos, estamos procurando um auditor independente para provar que o Consortium News não recebe um centavo de nenhum governo, corporação ou anunciante. 

As apostas são agora mais altas do que nunca. Uma coisa é ser chamado de nomes. Outra é ter um dos nossos veículos mais importantes para doações ser encerrado , como o PayPal acaba de fazer. Não nos foi dada nenhuma razão além de ser um “risco de segurança”.

Mas as regras do PayPal proíbem o fornecimento de “informações falsas, imprecisas ou enganosas” ao PayPal, outros clientes do PayPal “ou terceiros”. Se esta é realmente a razão pela qual fomos fechados, estamos sendo punidos por publicar informações e análises factuais que desafiam a narrativa dominante sobre a Ucrânia". 

domingo, 1 de maio de 2022

Protestos em França


 

Bonga


 Com quase 80 anos, o músico angolano lançou mais um álbum. Intitulado Xintal da Banda, é o 32 disco de Bonga, nscido José Adelino Barceló de Carvalho em 1942. Era o seu nome colonial, mas que ele trocou por Bonga Kuenta, um sobrenome africano que significa "aquele que se levanta e anda".

A imagem


 

Demoracia in USA?


 


Matt Taibbi

@mtaibbi

·

8h

As pessoas caem nessa… incrível

Citar Tweet

Michael Tracey

@mtracey

 ·14h

O FBI supostamente realizou 3,4 milhões de buscas sem mandado de americanos no ano passado. Funcionário anônimo esclarece: não se preocupe, essas buscas foram feitas apenas para ajudar as vítimas da Rússia. 

Divertido? 



Matt Taibbi

@mtaibbi

·

9h

Sempre fui contra a censura tanto à direita quanto à esquerda, e nunca contra críticas, e minha posição sobre isso nunca mudou.

sábado, 30 de abril de 2022

Capitalista por capitalista


 Só uma informação. O Twitter, antes de Musk, era propriedade de uma confederação de capitalistas. O seu maior acionista era o Vanguard Group, uma empresa de investimentos com 7 trilhões de dólres em activos, cerca de 25 vezes maior que a fortuna de Musk. A segunda maior foi a Kingdom Holding, empresa controlada pelo bilionário príncipe saudita Alwaleed bin s in. rveNo ano passado, um processo revelou como o Twitter foi cúmplice da repressão do príncipe Mohammed bin Salman contra dissidentes e críticos do regime. Sem dúvida, prefiro Elon Musk que ao contrário do que vomitam nas televisões certas figurinhas mal informadas e com cabeças tortuosas, não é apoiante de Donald Trump. Ponto final.

terça-feira, 26 de abril de 2022

Dino 'Santiago

 de
 

François Ruffin


"Existe um acordo entre Bercy e o banco Rothschild para tributar as taxas de seus sócios-gerentes fora da França, conforme alega a revista Off Investigation? Como nem o Elysée nem o Rothschild quiseram responder, fiz a pergunta ao Bruno Le Maire!"

Apesar da corrupção e do ultra neoliberalismo de Macron, defensor do capitalismo selvagem, deparamos smpre com a história do mal menor. O que significa como disse o João Rodrigues "encanar a perna à rã" .

segunda-feira, 25 de abril de 2022

Arno (1949-2022)


Depois de uma batalha contra contra o cancro no pâncreas, o cantor belga Arnold Charles Ernest Hintjens, conhecido como Arno, morreu aos 72 anos. “Vivre” foi o título do seu último álbum, lançado em 2021 e gravado com a pianista Sofiane Pamart .

domingo, 24 de abril de 2022

O farsante


Depois que Elon Musk anunciou os seus planos de comprar ações suficientes para se tornar o maior acionista do Twitter, e o conselho da empresa agiu em resposta para impedir que o CEO da Tesla pudesse exercer o controle, houve muita discussão online sobre o papel dos conselhos corporativos. E, surpreendentemente, o fundador do Twitter, Jack Dorsey, pesou, em termos inequívocos, criticando o conselho de administração do próprio Twitter. Jimmy Dore no seu show e o comediante americano Kurt Metzger se perguntam sobre a decisão de Dorsey de fazer críticas ao conselho do Twitter tão públicas. Foi dorcey que destruiu o Twitter com a censura e agora vem arogar-se em defensor da liberdade de expressão. Vendeu-se à Arabia Saudita.

sexta-feira, 22 de abril de 2022

Armas em mãos perigosas


"Autoridades dos EUA acabaram de admitir que não sabem onde seus carregamentos de armas para a Ucrânia irão realmente acabar e que podem cair em mãos perigosas. Desde que a crise na Ucrânia começou no ano passado, uma minoria de comentadores, incluindo o presente autor, tem alertado sobre os perigos de inundar o país com armas e o risco de alimentar grupos extremistas que podem desestabilizar o país e criar um golpe para o Ocidente , como fez a política anti-soviética dos Estados Unidos no Afeganistão na década de 1980. Um novo relatório da CNN sugere que as autoridades americanas estão bem cientes desses riscos.Um conjunto de fontes anónimas disse à rede que Washington não tem como rastrear as armas  que enviam ou saber onde elas vão parar quando entram na Ucrânia, um dos maiores mercados da Europa. .." (Branko Marcetic-Jacobin)

Naked Capitalism

O blogue de esquerda-esquerda Naked Capitalist informa que o jornalista Gonzalo Lira, preso na Ucrânia, "está vivo e o seu video Bucha também" . Transcrevo o artigo de Ives Smith: "Muitos que acompanhavam de perto os eventos na Ucrânia e eram receptivos a vozes fora do mainstream começaram a seguir Gonzalo Lira, um comentador chileno-americano que estava em Kiev, depois em Kharkiv, e dando atualizações tanto de sua experiência pessoal quanto de temas políticos mais amplos. Ele havia alertado que poderia ser alvo do SBU por seus comentários cada vez mais críticos sobre o regime de Zelensky e, em seguida, ter o Daily Beast colocando o governo da Ucrânia em cima dele (mais sobre esse ato sórdido em breve. Lira desapareceu no dia 15 e reapareceu quase uma semana depois, tendo ficado detida o tempo todo. Ele pelo menos parece que foi alimentado, mas não se sabe o que mais aconteceu. Para os novos nesta história, mesmo que tenha tido um final feliz, foi revelador ver a mídia tradicional não se preocupar com o provável e agora revelado ser o sequestro real de um jornalista por capangas fascistas da Ucrânia.

Em 2 de Abril, apareceu apareceu um artigo num site oficial do governo de Kiev. De acordo com o artigo, “forças especiais começaram a limpar a cidade de Bucha, da região de sabotadores e cúmplices das tropas russas”. Novamente, embora seja óptimo ver que Lira está vivo e com aparência razoavelmente saudável, parece que as autoridades da Ucrânia o estão silenciando. Por favor, entre em contacto com a Embaixada do Chile e insista para que ele seja libertado.

Desordem Mundial


 "Há países dentro da NATO que querem que a guerra continue", disse o ministro das Relações Exteriores da Turquia à CNN turca. "Eles querem que a Rússia se torne mais fraca."Mevlut Cavusoglu  achava que a guerra duraria não duraria muito depois  da Rússia e a Ucrânia terem realizado negociações de paz em Istambul no mês passado. Mas após uma reunião dos ministros das Relações Exteriores da NATO, ficou com a impressão de que alguns membros da aliança não querem que a guerra termine. "Em vez de buscarem uma solução diplomática, as potências ocidentais estão despejando armas na Ucrânia e travando uma campanha de sanções econômicas contra a Rússia".

quinta-feira, 21 de abril de 2022

Que fazer?


" Neste momento, os trabalhadores e os povos de todo o mundo deveriam estar unidos dos dois lados da barricada - os povos ucraniano e russo, os povos da Europa “unida”, os povos da Síria, do Iraque, da Palestina do Sahara Ocidental, os povos do Iémen, os povos árabes em geral, os povos da África faminta, do Mali, contra uma guerra que vem agravar a exploração e a opressão, unidos contra o imperialismo e o capitalismo". (Lenine-Que fazer?)Comunica a sua posição sobre a guerra na Ucrânia.

segunda-feira, 18 de abril de 2022

Luiz Zerbini


 Luiz Zerbini (São Paulo, 1959) é um dos grandes nomes da arte contemporânea latino-americana, e esta é a sua primeira exposição individual no museu de São Paulo. A mostra reúne cerca de 50 trabalhos, na sua maioria inéditos, em que é possível ver características da sua diversa produção que inclui pintura, monotipia, instalação. Na paisagem e na botânica, destaca-se a paleta multicolorida e os diálogos entre abstração, geometria e figuração.

A exposição, com o  título de Luiz Zerbini: a  história nunca é a mesma, comissariada por Adriano Pedrosa, diretor artístico do MASP, mantem--se neste museu até 5/6/22. Inclui cinco pinturas de grandes dimensões, quatro delas produzidas especialmente para a mostra, em que o artista revisita de maneira crítica a pintura histórica. Utilizada para representar eventos marcantes de uma nação, como guerras, batalhas, independências e abolições, a pintura histórica frequentemente os idealiza ou romantiza, ao serviço de uma certa ideologia. 

Censura


 O Conselho Editorial do Washington Post publicou um editorial alegando que as contas da media chinesa estão "ecoando a propaganda russa" sobre a guerra na Ucrânia e, por sua vez, deveriam ser banidas das plataformas de media social ocidentais. A ligação ocorre no meio a uma crescente repressão aos meios de comunicação russos e comentadores proeminentes que questionam a narrativa ocidental sobre Moscovo. Só nos últimos dias, o Twitter baniu várias contas de alto perfil, incluindo o ex-inspetor de armas da ONU e especialista militar Scott Ritter, um podcast popular conhecido como "russos com atitude" e o veterano jornalista brasileiro Pepe Escobar. Mas para o Conselho Editorial do Washington Post, isso não é suficiente, e quer que esse novo regime de censura se aplique também à China.

O Washington Post sempre foi um jornal profundamente fanático e zeloso quando se trata da China. Ele emprega alguns dos falcões pró-guerra mais desequilibrados da mídia americana, como o teórico da conspiração de vazamento de laboratório, Josh Rogin. No entanto, para um jornal que se orgulha do slogan "A Democracia Morre na Escuridão" agora pedir censura explícita daqueles com quem discorda é irônico e perturbador. O que aconteceu com o conceito tão profundamente defendido por aqueles nos EUA - liberdade de expressão? E por que não se aplica neste caso? A demanda fala muito sobre como o Ocidente percebe suas próprias narrativas e acredita que ninguém que as questione tem credibilidade..."(James Smith -Global Times

sábado, 16 de abril de 2022

quarta-feira, 13 de abril de 2022

François Ruffin


O deputado François Ruffin do LFI elogiou a boa pontuação alcançada por Jean-Luc Mélenchon na eleição presidencial e acredita que para atingir um novo marco, o partidodeve competir com o Rally Nacional no meio rural. Congratula-se com a campanha“eficaz”e “alegre” de Mélenchon, mas espera que a esquerda esteja agora a abordar “prioridade” à “França periférica”. Em entrevista ao “Liberation” ele se autodenomina marxista e libertário, chato e engraçado. “Constantemente, há uma espécie de tensão em mim entre uma forma de ser bastante cool na relação com a expressão, de procurar novas formas como nos meus livros ou na Assembleia Nacional e o meu lado marxista, teoriza. Também não venho da esquerda nem da direita. Eu venho do nada. Quando me encontro entre as pessoas de esquerda, muitas vezes fico entediado. Ela não sabe mais falar com o povo, essa esquerda, minha esquerda. 

Jules de Balincourt

segunda-feira, 11 de abril de 2022

domingo, 10 de abril de 2022

Nostálgicos da Rússia


 Segundo o jornal Le Monde Diplomatique a invasão da Ucrânia por Moscovo marca a vitória de uma corrente de pensamento que defende, desde a queda da União Soviética, um confronto militar e civilizacional com o Ocidente. "A 26 de fevereiro de 2022, dia de seu 84º aniversário, o escritor russo Alexander Prokhanov deu uma entrevista ao vivo na cabine de um avião de ataque sobrevoando a Ucrânia. Diante de seus olhos, seu sonho de reconstituir o império soviético tomou forma em violência: “  Voo sobre a negra terra ucraniana que os tanques russos atravessam, corrigindo a monstruosa ferida cometida contra a história russa em 1991. (…) Hoje, nos casamos novamente com a Ucrânia .  »

Prokhanov é um dos líderes dos “nacional-patriotas ”, uma corrente de pensamento que se formou, a partir da perestroika (1985-1991), em oposição aos  "ocidentalistas" e aos  "democratas liberais”. Reuniu intelectuais nostálgicos da Rússia imperial tradicional e do establishment político-militar soviético que se opunha à liberalização do país liderado pelo último líder soviético, Mikhail Gorbachev. Ao longo da década de 1990, o jornal fundado por Prokhanov, Zavtra ("Amanhã), torna-se o ponto de encontro da oposição ao presidente russo Boris Yeltsin. Entre os colunistas regulares, há partidários de J Staline, nacionalistas, padres ortodoxos monarquistas e muçulmanos tradicionalistas. O pensador  Alexander Dugin que defende a especificidade civilizacional da Rússia separada do Ocidente, o escritor nacional-bolchevique Edouard Limonov ou mesmo o líder do Partido Comunista Gennadi Ziouganov, líder do Partido Comunista também participam. Essa mistura eclética está ligada a uma crítica virulenta à democracia pós-soviética, à liberalização da economia, ao poder dos oligarcas, à ocidentalização da sociedade e à hegemonia americana sobre a ordem internacional. 


A Noite dos Poetas


Paulo Bragança presta homenagem a Adriano Correia de Oliveira.

sexta-feira, 8 de abril de 2022

Branko Marcetic

 

Branko Marcetic
@BMarchetich

"Existem maneiras melhores de ajudar a Ucrânia do que reabilitar nazistas, fingir que a extrema direita do país não é um problema e, no processo, espalhar propaganda neonazista literal ("Somos apenas patriotas, isso é tudo!")

Debate Ucrânia


 

Esquerda americana


 Como é que a esquerda americana – amplamente definida como crítica do capitalismo num grau ou outro – reagiu à guerra? Um pequeno grupo resistiu ao jingoísmo em todas as suas formas. A editora do The Nation, Katrina vanden Heuvel, condenou a invasão, mas também a 'irracionalidade' e a 'arrogância' dos governantes dos EUA, cuja vontade de estender uma aliança militar às fronteiras da Rússia forneceu o contexto para isso. Ela pediu a Biden que pressione por um cessar-fogo imediato e a retirada russa em troca da neutralidade da Ucrânia. Keith Gessen, editor fundador da n+1, ofereceu uma conta poderosa das origens da guerra, evitando a psicologia pop em favor da história e da reportagem para questionar sua inevitabilidade. No outro extremo do espectro, alguns aderiram avidamente a uma campanha de difamação liberal contra supostos putinistas , entre eles George Monbiot no Guardian e Paul Mason no New Statesman, este último pedindo um estímulo militar maciço para se preparar para a próxima conflagração global. Nos EUA, esse papel foi diretamente para os 'abutres da cultura' da New York Magazine ou da Vice .

A esquerda DSA e Squad, escritores da Jacobin , Dissent , Jewish Currents , The Intercept, e outras publicações menores – ficam em algum lugar no meio. Suas posições diferem apenas em grau e nuance da linha do Departamento de Estado: contra amplas sanções, a maioria também se opõe a despejar armas na Ucrânia. Mas a sua postura é basicamente defensiva, alardeando a condenação da Rússia em vez de criticar Biden ou a NATO, em parte para evitar acusações de 'tankiness'. A declaração inicial do DSA foi vaga e vaga, embora os democratas tenham feito fila para rejeitá-la. Branko Marcetic soou tão duro e mais preocupado com a guerra nuclear. Graças a Jeremy Scahill, o Intercept continua a documentar a enorme escala de transferências de armas, mas também tentou se distanciar de uma 'esquerda' que 'inventa desculpas' para Putin.

Há ainda a posição de apoiar as 'boas sanções' defendidas por Thomas Piketty – exercido contra 'a fina camada social de multimilionários em que o regime depende' em vez de russos comuns. Comparativamente humanas em espírito, tristemente ingênuas na prática, essas propostas não compreenderam os motivos do poder que procuravam guiar. Em poucos dias, Washington lançou medidas para induzir uma crise socioeconômica de poupadores e assalariados comuns, deixando os ricos relativamente ilesos. 'Vamos causar o colapso da economia russa', explicou o ministro das Finanças da França, com naturalidade. Leituras mais atentas de livros de dois arquitetos do moderno regime de sanções, Juan Zarate sob Bush e Richard Sobrinho sob Obama, podem ter esclarecido algumas ilusões sobre seu propósito. A iranificação está na ordem do dia, não sanções com um toque social-democrata.

Nem a esquerda respeitável nem os liberais linha-dura podem explicar como 'castigos' em espiral pretendem trazer um fim rápido à guerra, muito menos uma paz duradoura. Será que eles não foram projetados para isso, e que os EUA e seus aliados veem uma chance de resolver seus próprios interesses estratégicos no 'pivô geopolítico' da Eurásia - no qual a soberania ucraniana, para não falar da vida ucraniana, figura no máximo incidentalmente ? 

Pode Perder


 Antes das eleições parlamentares húngaras do último fim de semana, as pesquisas previam uma derrota esmagadora para o odiado actual presidente do establishment ocidental, Viktor Orban que foi reeleitro com uma grande vitória, esmagando a aliança da oposição. Assim, com todos os olhos nas eleições francesas deste fim de semana, que colocam o queridinho dos oligarcas de Davos e o ex-banqueiro do Rotschild. Sim, Emanuel Macron contra a nacionalista de direita Marine Le Penn. De repente parece tudo muito instável. Também aqui crescem os temores de que o que até recentemente era visto como favas contadas perca a eleição. Com os eleitores franceses indo às urnas no domingo, a corrida está subitamente aberta porque, enquanto a vantagem de Macron sobre Le Pen vinha diminuindo nas últimas semanas, uma pesquisa de choque divulgada ontem pela Atlas Politico mostrou que Le Pen (50,5%) agora tem uma ligeira vantagem sobre Macron (49,5%).

Pessoas próximas a Macron têm alertado que a sua vitória não está garantida . "É claro que Le Pen pode vencer", disse  Edouard Philippe, ex-primeiro-ministro do governo de Macron, na semana passada, segundo a Bloomberg. Mas para que isso aconteça, Le Pen teria que construir uma coaligação de qualquer um menos Macron na segundo volta em 24 de abril e os eleitores de esquerda teriam que se abster ou votar nela. Há mais uma figura nesta corrida: o líder da extrema esquerda Jean-Luc Melenchon. Na sua terceira chance à presidência, ele está com seis pontos percentuais atrás de Le Pen, e pode convencer os eleitores de esquerda a se unirem a ele no domingo.

Desde o início da guerra na Ucrânia, a socialista Anne Hidalgo multiplicou os ataques contra seu rival na corrida pelo Eliseu, o insubmisso Jean-Luc Mélenchon. Mesmo que isso signifique desagradaer a alguns dos seus apoiantes socialistas. "Um candidato que se recusa a ajudar os ucranianos  ” ou “  rompe completamente com a história da França  ”, um “  beco sem saída  ”… Na reta final da campanha, Anne Hidalgo não parou de atacar Jean-Luc Melenchon . 

quinta-feira, 7 de abril de 2022

Blanko


 Desde os Buraka Som Sistema que sou fã do músico João Barbosa aka Branko. Produtor, compositor, DJ e visionário. Um músico global

A farsa


A ideologia do neoliberalismo há muito dominante trouxe-nos guerras, recessões e a extrema desigualdade. Os neoliberais  impulsionaram a privatização rápida na Rússia após a Guerra Fria juntamente com política monetária restritiva. Os oligarcas em ascensão compravam empresas e depois transferiam o dinheiro para fora do país. O neoliberalismo tornou-se hegemónico nas democracias ocidentais que, segundo alguns cientistas políticos  não podem ser caracterizadas como democracias. 





A estratégia


 Já sabemos: tecnologia, inteligência artificial, robotização integral do trabalho, desmaterialização do dinheiro, manipulação genética, viagens espaciais, poder integral das tecno-estruturas, governo mundial, uniformidade da língua, das diversidades, da  cultura. Uma elite de psicopatas fala de uma nova ordem mundial. Vivemos  num ambiente de esquizofrenia total. É preciso preparar as batalhas contra as mafias, os líderes do neo-liberalismo capitalista, que nos dirigem.

domingo, 3 de abril de 2022

Breton Woods III


 Numa nota publicada anteriormente, Zoltan Pozsar , chefe global da estratégia de taxa de juros de curto prazo do Credit Suisse escreveu que esta crise não é como nenhuma que vimos desde que o presidente Nixon tirou o dólar americano do ouro em 1971. Este reputado macro-economista qualifica isto como o fim da era do dinheiro baseado em mercadorias. Quando esta crise acabar, o dólar americano deverá estar muito mais fraco. Ele acredita que o sistema monetário global nunca mais será o mesmo após a crise. Chama-lhe  Breton Woods III. Diz ainda que pode ser a queda do dólar e a ascensão de moedas no
Oriente.. Citando Ray Dalio afirma que os preços do preço das comodities dominarão o preço do dinheiro. As guerras serão vencidsas por quem tiver mais alimentos e suprimento de energias.

sexta-feira, 1 de abril de 2022

Raquel Varela


 

Argentina não esquece


No dia 24 de março de 2022 fez 46 anos desde que o golpe cívico-militar apoiado pelos EUA derrubou o governo de esquerda da presidente Isabel Martínez de Perón na Argentina .O golpe instalou a ditadura mais sangrenta da história do país, liderada pela junta do general Jorge Rafael Videla , almirante Emilio Eduardo Massera, general Orlando Ramón Agosti e general Leopoldo Galtieri de março de 1976 a dezembro de 1983. O período da ditadura foi marcada pelo terrorismo de Estado e graves violações dos direitos humanos.

Durante mais de sete anos de ditadura, as forças de segurança argentinas, juntamente com esquadrões da morte de direita como Triple A, caçaram qualquer pessoa que se acreditasse estar associada ao socialismo, ao peronismo de esquerda ou ao movimento Montoneros. Estima- se que mais de 30.000 estudantes, ativistas, sindicalistas, escritores, jornalistas, artistas e quaisquer cidadãos suspeitos de serem ativistas de esquerda foram sequestrados, torturados e desaparecidos.

Neste 24 de março, após uma pausa de dois anos devido à pandemia de Covid-19, mais uma vez, centenas de milhares de argentinos saíram às ruas de todo o país para homenagear as vítimas e seu espírito revolucionário.

quinta-feira, 31 de março de 2022

Varoufakis

"A terrível guerra que Putin desencadeou contra a Ucrânia também causou danos colaterais nas fileiras da esquerda. Assim que eu e outros camaradas do DiEM25 (incluindo Noam Chomsky e Naomi Klein), começamos a fazer campanha por uma resolução pacífica da guerra com base no princípio de uma Ucrânia independente, mas neutra , uma acusação de 'Westsplaining' foi levantada contra nós do Leste camaradas europeus.

A acusação : que os esquerdistas ocidentais (como eu) e os liberais condescendem em explicar a Europa Oriental, e sua situação, aos europeus orientais. Diferentes opressões geram diferentes sensibilidades: sem dúvida, cada um de nós carrega uma bagagem histórica diferente. Eu, sendo grego, cresci numa ditadura fascista liderada pelos EUA dentro de uma OTAN que colaborou com nossos governantes fascistas. Então, naturalmente, nós, esquerdistas gregos, tendemos a ser mais críticos da OTAN, fazendo críticas que para polacos e outros europeus orientais parecem fora de lugar. Tais diferenças de perspectiva são, naturalmente, perfeitamente naturais e legítimas..."

Estupidez de Biden


 Na quarta-feira, 23 de março de 2022, os Estados Unidos anunciaram que congelariam o acesso da Rússia ao seu ouro. A Rússia tem a quinta maior quantidade de ouro do mundo. O economista Michael Hudson explica que esta acção, que segue os EUA apreendendo o ouro e os activos da Venezuela e do Afeganistão, acabou efetivamente com a hegemonia do dólar, que vem caindo nos últimos anos, e a boleia que os EUA desfrutam no exterior. Hudson afirma que estamos agora em território desconhecido, pois nada parecido com isso ocorreu na história moderna. As sanções à Rússia estão causando uma escassez de fertilizantes, o que reduzirá a produção de alimentos e trará fome. Hudson prevê inflação maior, principalmente para alimentos e combustível, e escassez, que são boas para os lucros de Wall Street, e mais empresas sendo forçadas a fechar.

quarta-feira, 30 de março de 2022

Guerra e Paz

"..Talvez explorar a alma de Putin seja a abordagem certa para entender a sua decisão em fevereiro de 2022. Talvez haja outra possibilidade. Talvez quisesse dizer o que ele e todos os outros líderes russos vêm dizendo desde o ex-presidente Boris Yeltsin, há 25 anos, sobre a neutralização da Ucrânia; e talvez, embora a declaração conjunta altamente provocativa tenha sido silenciada nos EUA, Putin possa ter prestado atenção a ela e, portanto, decidido intensificar os desconsiderados esforços anuais para agressão direta.

Uma possibilidade, talvez...A imprensa relata que “a Ucrânia está pronta para declarar neutralidade, abandonar seu desejo de ingressar na NATO e prometer não desenvolver armas nucleares se a Rússia retirar as tropas e Kiev receber garantia de segurança …”Isso levanta uma questão: os EUA vão ceder e avançar para acelerar os esforços para salvar a Ucrânia de mais miséria em vez de interferir nesses esforços recusando-se a participar das negociações e mantendo a posição da declaração política de setembro passado? A questão nos leva ao apelo improvisado de Biden para que Putin seja removido, não lhe oferecendo nenhuma escapatória. A declaração de Biden, reconhecida como uma declaração virtual de guerra que pode ter consequências terríveis, causou consternação considerável em todo o mundo, principalmente entre a sua equaipe, que se apressou em garantir ao mundo que as suas palavras não significavam o que diziam. A julgar pela postura do seu círculo próximo em questões de segurança nacional, é difícil estar confiante.

Desde então, Biden explicou que o seu comentário foi uma explosão espontânea de “indignação moral”, repulsa pelos crimes do “açougueiro” que governa a Rússia. Existem outras situações atuais que podem inspirar indignação moral? Não é difícil pensar em casos. Um dos mais aterrorizantes é o Afeganistão. Literalmente milhões de pessoas estão enfrentando fome, uma tragédia colossal. Há comida nos mercados, mas sem acesso a bancos, as pessoas com pouco dinheiro têm que ver seus filhos passar fome.or quê? Uma das principais razões é que Washington está se recusando a liberar os fundos do Afeganistão, mantidos em bancos de Nova York para punir os pobres afegãos por ousar resistir à guerra de 20 anos de Washington. Os pretextos oficiais são ainda mais vergonhosos: os EUA devem reter os fundos dos afegãos famintos, caso os americanos queiram reparações pelos crimes de 11 de Setembro, pelos quais os afegãos não têm responsabilidade. Lembre-se de que o talibã ofereceu rendição completa, o que significaria entregar os suspeitos da Al-Qaeda. (Eles eram apenas suspeitos na época da invasão dos EUA, na verdade muito depois, como o FBI confirmou.) Mas os EUA responderam firmemente com o decreto de que “os Estados Unidos não estão inclinados a negociar rendições”. Esse foi o secretário de Defesa Donald Rumsfeld, ecoado por George W. Bush.

A imposição de duras sanções a países que se recusam a seguir as ordens de Washington é uma tática há muito estabelecida por parte dos EUA. Na verdade, mesmo acadêmicos que vivem em países sob sanções são tratados como indesejáveis. E a cultura política geral nos EUA não está muito interessada em permitir que vozes dissidentes sejam amplamente ouvidas na arena pública. Você deseja comentar sobre essas características fundamentais da cultura política nos Estados Unidos? Este é um tópico muito grande para ser abordado aqui. E muito importante para um comentário casual. Mas vale lembrar que, mais uma vez, não é novidade. Todos nos lembramos de quando o augusto Senado mudou as batatas fritas para “batatas fritas da liberdade” em reação furiosa à recusa insolente da França em participar do ataque criminoso de Washington ao Iraque. Podemos ver algo semelhante em breve se o presidente Macron da França, uma das poucas vozes razoáveis ​​nos altos círculos ocidentais, continuar pedindo moderação em palavras e ações e explorando opções diplomáticas. O declínio fácil para o alarmismo remonta muito mais longe, atingindo profundidades cômicas quando os EUA entraram na Primeira Guerra Mundial e todas as coisas alemãs instantaneamente se tornaram um anátema. A praga não se limita às costas dos EUA. Para dar um exemplo pessoal, ouvi recentemente de um colega que um artigo seu foi devolvido a ele, sem ser lido, por uma revista de filosofia altamente respeitada na Inglaterra, com um aviso de que o artigo não poderia ser considerado porque ele é cidadão de uma país sob sanções: Irão. As sanções são fortemente contestadas pela Europa, mas, como de costume, ela se submete ao Mestre, a ponto de proibir um artigo de um filósofo iraniano. O grande presente de Putin para Washington foi intensificar essa subordinação ao poder".  (Noam Chomsky-Truthout

Propaganda lamecha

"Os parceiros da TK News2Share capturam uma manifestação pró-ucraniana em Washington neste fim de semana, apresentando apelos por uma zona de exclusão aérea e discursos de pessoas como o neoconservador Bill Kristol, vestido casualmente, que disse: lutando pela Europa”. O estrategista democrata Adam Parkhomenko acrescentou: “Putin não acredita no poder do espírito humano… Em uma aparição em vídeo, o presidente Volodymyr Zelensky fez um apelo direto ao Ocidente. “É apenas o começo para a Rússia em terras ucranianas”, disse ele. “A Rússia está tentando derrotar a liberdade de todas as pessoas na Europa.”

A filmagem mais intensa foi uma montagem de vídeo preparada de pais abraçando seus filhos pequenos, sobre uma canção de ninar com a letra: “Se você não fechar o céu, eu vou morrer”. (Matt Taibbi-TK News)

Duas coisinhas: interessantes. Bill Kristol é o famoso neo-con do partido republicano, um dos teóricos e incentivistas da guerra do Golfo.

terça-feira, 29 de março de 2022

Obrador: um homem de esquerda


 O embaixador dos EUA, Ken Salazar, no México causou alvoroço no final da semana passada, quando disse aos legisladores mexicanos que o México nunca pode estar perto da Rússia. As relações entre os EUA e o México azedaram ultimamente, pois a AMLO procurou reequilibrar o modelo econômico do México, entre outras coisas, promovendo a produção doméstica não transgênica de culturas básicas, como milho; priorizando o petróleo bruto do México para o mercado interno; trazendo o mercado de eletricidade do México de volta ao controle da estatal Comisión Federal de Electricidad (CFE) e nacionalizando os depósitos de lítio do país. Essas medidas de política não necessariamente se encaixam nos interesses comerciais do maior parceiro comercial do México, os EUA. 

Andrés Manuel López Obrador, também conhecido por suas iniciais AMLO, destacou a posição de neutralidade do México no conflito entre a Rússia e a Ucrânia.“Precisamos enviar-lhes telegramas informando que o México não é colônia de nenhum país estrangeiro. O México é um país livre, independente e soberano. Não somos uma colônia da Rússia, China ou Estados Unidos…"Não vamos a Moscovo para espionar ninguém, nem a Pequim para espionar o que estão fazendo na China, nem a Washington, nem mesmo a Los Angeles. Não fazemos esse tipo de coisa... Não vamos participar nem a favor nem contra [esta guerra], é uma posição de neutralidade nossa, que tem a ver com a política externa do México”.

Tensões imperiais

"Acivistas climáticos que vivem sob o constante barulho de sirenes de ataques aéreos na Ucrânia dizem que não querem as exportações de gás fraccionado dos Estados Unidos e não querem que as comunidades da linha de frente ao longo da costa do Golfo dos EUA vivam com os impactos do chamado gás natural liquefeito (LNG) para se tornarem zonas de sacrifício em seu nome. Em vez disso, eles dizem que querem uma mobilização dramática em tempo de guerra para uma transição para a energia limpa.

Activistas da justiça climática e ambiental impactados em ambos os países estão condenando o recente acordo de segurança energética que o presidente Joe Biden e a presidente da Comissão Europeia Ursula von der Leyen fecharam há dias em Bruxelas. Os líderes mundiais anunciaram uma nova task-force que trabalharia para aumentar as remessas de GNL para a Europa para facilitar o desmame do continente do petróleo e gás russos, ao mesmo tempo em que trabalharia para reduzir a demanda e expandir a energia renovável para atender às metas climáticas compartilhadas dos EUA e da União Europeia...

De acordo com uma análise recente do Food & Water Watch , o valor das ações actualmente detidas pelos CEOs de oito grandes empresas de combustíveis fósseis, incluindo Exxon, Chevron, Enbridge, Kinder Morgan e Cheniere, aumentou quase US$ 100 milhões desde o início do ano. . Outra análise da Oil Change International, Greenpeace USA e Global Witness conclui que os altos preços de guerra renderão à indústria de petróleo e gás dos EUA um inesperado de US$ 37 a US$ 126 biliões somente em 2022... (Truthout- A imagem é uma obra do artista americano Cristopher Wool)

Revistas







Tobias Rehberger


 A galeria Pedro Cera informa que o escultor Tobias Rehberger, um dos seus artistas, tem  uma exposição com o título de "Do if I don't" no Kunstmuseum Stuttgart que inaugurou em 25 de Março. Nascido na Alemanha em 1966, estudou com Martim Kippenberger na Stadelschule de Frankfurt. Nas suas esculturas, pinturas murais e instalações, Rehberger uitiliza vários conceitos e ideias da arquitetura, do design ou mesmo da música, colocando objetos cotidianos e estruturas espaciais em combinações inesperadas, dando-lhes uma nova interpretação, ao mesmo tempo que questiona modos tradicionais de percepção, consciência e temporalidade.

 A exposição apresenta trabalhos centrais do artista nas últimas três décadas. Com destaque para as instalações multiformes de luz, denominados Window Pictures e Vases Portraits, além de uma série de esculturas que brincam com os efeitos de luz e sombra. O artista projetou o 3º andar superior do cubo com esculturas impressas em 3D como um lugar para conversar e descansar. Tobias Rehberger também criou uma edição em cerâmica composta por prato, tigela e caneca expressamente para a exposição. As peças únicas foram produzidas usando um processo de impressão 3D e depois finalizadas individualmente por ele.

sábado, 26 de março de 2022

O espelho da guerra


" Não somos um país introspectivo. A introspecção é um convite à autocrítica, o que contraria a crença americana de avançar enquanto atropela tudo em nosso caminho. Isso torna ainda mais importante o momento político gerado pela guerra na Ucrânia. A maioria das pessoas está, pela primeira vez, mais ou menos unida na crença de que um crime moral foi cometido pelo governo russo. Os americanos estão assistindo a uma terrível guerra de agressão e não gostam do que veem. Este é um momento em que a evolução para o bem é possível, se formos capazes de perceber que estamos olhando para um espelho.

Foi interessante, dada a nossa política bizarra – em que fascismo e nacionalismo e utopismo tecnológico e pseudo-populismo foram todos forçados a se misturar e depois temperados com desigualdade desenfreada e a determinação de vigaristas em explorar tudo isso – ver algo tão clara quanto uma guerra implacável travada por uma grande nação contra uma menor que reúne todos. Não estou falando tanto sobre os extremos direito ou esquerdo do espectro, que trazem à situação teorias anteriores sobre por que essas coisas acontecem, mas a maioria no meio, os tipos de bandeira americana na caixa de correio, que em agregados são o tecido da sabedoria convencional.

A reação do público em geral ao que está acontecendo na Ucrânia não se baseia em nenhum conhecimento de história ou geopolítica. Baseia-se em uma repulsa básica em ver um poder mais forte atacar um mais fraco sem nenhuma razão aparente. Baseia-se em nossa aversão universal aos valentões. Baseia-se em uma simples reação humanitária às tragédias que são mais prováveis ​​de serem vistas agora do que nunca. (Certamente também é, até certo ponto, baseado em americanos brancos que se identificam mais facilmente com pessoas que se parecem com eles do que com, digamos, pessoas do Oriente Médio que não se parecem.) Os eventos neste caso conspiraram para permitir que os americanos vissem a guerra pela atrocidade que seja, livre do típico bombardeio de propaganda patriótica a favor ou contra. Esta grande revolta nacional deve ser cuidada como uma flor rara e valiosa.

A Guerra do Iraque não foi há muito tempo. Lembro-me de assistir a inicial da América​“choque e pavor” bombardeio de Bagdá, que foi transmitido ao vivo pelos canais de notícias. Parecia idêntico às imagens do bombardeio russo de Kiev, exceto pior. Então, a América Central foi programada para torcer. Agora, sem todo o trabalho de preparação, parece claramente horrível. A América foi para o Iraque o que a Rússia é para a Ucrânia. Nós éramos os caras maus. Isso não é novidade, e muitos de nós o reconheceram na época. Mas o grupo de pessoas que se espalham no final do mainstream e que amarram fitas amarelas nas árvores em seu quintal e vendem bolos para as tropas porque parece que a coisa decente a fazer são as mesmas pessoas que estão, agora , observando com horror o que está acontecendo na Ucrânia. Parece impensável que essa experiência não faça os pontos se conectarem na mente de milhões de pessoas: Aqui está uma guerra de agressão. É injusto, ultrajante, terrível na Ucrânia. E é tão ruim quando fazemos isso..." (Hamilton Nolan- In These Times)

terça-feira, 22 de março de 2022

Nazis da Ucrânia


 

Os hipócritas


"A  qualificação de Vladimir Putin como criminoso de guerra por Joe Biden, que fez lobby pela guerra do Iraque e apoiou firmemente os 20 anos de carnificina no Oriente Médio, é mais um exemplo da postura moral hipócrita que varre os Estados Unidos. Não está claro como alguém julgaria Putin por crimes de guerra, já que a Rússia, como os Estados Unidos, não reconhece a jurisdição do Tribunal Penal Internacional em Haia. Mas a justiça não é o ponto. Políticos como Biden, que não aceitam a responsabilidade por nossos crimes de guerra bem documentados, reforçam suas credenciais morais demonizando seus adversários. Eles sabem que a chance de Putin enfrentar a justiça é zero. E eles sabem que a chance de enfrentar a justiça é a mesma.

Sabemos quem são nossos criminosos de guerra mais recentes, entre outros: George W. Bush, Dick Cheney, Donald Rumsfeld, General Ricardo Sanchez, ex-diretor da CIA George Tenet, ex-Asst. Atty. Gen. Jay Bybee, ex-Dep. Ass. Atty. Gen. John Yoo, que estabeleceu a estrutura legal para autorizar a tortura; os pilotos de helicóptero que mataram civis, incluindo dois jornalistas da Reuters, no vídeo “Assassinato Colateral” divulgado pelo WikiLeaks de Julian Assange. Temos provas dos crimes que cometeram.

Mas, como a Rússia de Putin, aqueles que expõem esses crimes são silenciados e perseguidos. Julian Assange, embora não seja cidadão dos EUA e seu site WikiLeaks não seja uma publicação sediada nos EUA, é acusado pela Lei de Espionagem dos EUA por tornar públicos numerosos crimes de guerra dos EUA. Assange, atualmente alojado em uma prisão de alta segurança em Londres, está travando uma batalha perdida nos tribunais britânicos para impedir sua extradição para os Estados Unidos, onde enfrenta 175 anos de prisão. Um conjunto de regras para a Rússia, outro conjunto de regras para os Estados Unidos. Chorar lágrimas de crocodilo pela mídia russa, que está sendo fortemente censurada por Putin, enquanto ignora a situação da editora mais importante de nossa geração diz muito sobre o quanto a classe dominante se preocupa com a liberdade de imprensa e a verdade....

Todos os esforços para responsabilizar nossos criminosos de guerra foram rejeitados pelo Congresso, pelos tribunais, pela mídia e pelos dois partidos políticos no poder. O Centro de Direitos Constitucionais, impedido de levar processos aos tribunais dos EUA contra os arquitetos dessas guerras preventivas, que são definidas pelas leis pós-Nuremberg como “guerras criminais de agressão”, apresentou moções nos tribunais alemães para responsabilizar os líderes dos EUA por crimes grosseiros. violações da Convenção de Genebra, incluindo a sanção de tortura em locais negros como Guantánamo e Abu Ghraib....,

Essa hipocrisia não é nova. Não há diferença moral entre o bombardeio de saturação que os EUA realizaram em populações civis desde a Segunda Guerra Mundial, inclusive no Vietnã e no Iraque, e o ataque a centros urbanos pela Rússia na Ucrânia ou os ataques de 11 de setembro ao World Trade Center. Morte em massa e bolas de fogo no horizonte de uma cidade são os cartões de visita que deixamos em todo o mundo há décadas. Nossos adversários fazem o mesmo. ( Chris Hedges- Counterpunch)

sábado, 19 de março de 2022

sexta-feira, 18 de março de 2022

Zelensky: uma marioneta


 O coronel Macgregor, ex assessor do Pentágono e veterano da guerra do Golfo, analisou a frente de batalha enquanto a Rússia avançava nas posições ucranianas e ofereceu uma avaliação fulminante da “OTANização” da Ucrânia e do papel dos neoconservadores e do “unipartido” na condução da guerra de Washington. Na Grayzone com o editor Max Blumenthal e o jornalista Aaron Maté. O coronel da reserva Douglas McGregor, ex-assessor sênior do secretário de Defesa dos EUA, traçou um quadro bem diferente do que vem sendo dito e repetido na mídia ocidental, assinalando que a Rússia tem surpreendentemente causado “muito menos danos do que infligimos ao Iraque quando, seja em 1991 e novamente em 2003”. “Os russos deixaram muito claro: o que eles querem é uma Ucrânia neutra. Isso poderia ter acabado dias atrás se Zelensky aceitasse”.

O militar da reserva disse ainda que o comportamento das forças ucranianas é comparável “aos dos extremistas islâmicos no Oriente Médio – sem cobertura aérea, sem mobilidade, invadem as cidades e usam as pessoas como escudos”; as tropas russas “não estão tomando território”, mas concentram-se em destruir as forças ucranianas; enquanto o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky apenas “adia o inevitável na esperança de que vamos resgatá-lo, e não estamos chegando – o presidente Biden deixou isso muito claro.”

Para McGregor, o presidente Zelensky está “colocando um grande número da sua própria população em risc o desnecessário”. E sublinhou: "Uma Ucrânia neutra seria boa para nós e para a Rússia. Isso criaria o amortecedor que francamente ambos os lados querem. Mas ele está, eu acho, sendo instruído a aguentar e tentar estender isso, o que é trágico para as pessoas que vão sofrer. Não vejo nada de heróico nele”